• Começa segunda etapa da vacinação contra a febre aftosa no Paraná

  • Agência Estadual de Notícias

A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento e a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) lançaram nesta quinta-feira (1º), em Londrina, a segunda etapa da campanha estadual de vacinação contra febre aftosa. Até dia 30, deverão ser vacinados todos os bovinos e bubalinos de qualquer idade.

A meta é atingir 100% de vacinação do rebanho paranaense, estimado em 9,5 milhões de cabeças. Quem não vacinar e não comprovar a vacina será multado em R$ 96,09 por cabeça. "Dói mais no bolso deixar de vacinar do que vacinar", alertou o secretário Norberto Ortigara.

O lançamento oficial da campanha, na sede da Sociedade Rural do Paraná, teve a presença também do diretor-presidente da Adapar, Inácio Afonso Kroetz, do presidente da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Ágide Meneguetti, e do presidente da Sociedade Rural do Paraná, Moacir Norberto Sgarioni.

Prejuízo

Quando houve suspeita do vírus da febre aftosa no Paraná, em 2005, o Estado perdeu US$ 4,5 bilhões, pela queda nas exportações, queda de preços e morte dos animais. Ortigara firmou parceria com a iniciativa privada, representada pela Faep e Sociedade Rural do Paraná, para convencer todos os produtores a vacinarem seus animais. Aos grandes pecuaristas sugeriu que façam a vacinação solidária com os vizinhos que possuem poucas cabeças. "Ele estará protegendo o seu rebanho também, colaborando com o criador vizinho", comentou Ortigara.

Segundo o secretário, muitas vezes o produtor com poucas cabeças de gado avalia que não compensa comprar a embalagem, com um mínimo de 10 doses. Ele orientou para que pequenos produtores se unam para compara a embalagem e dividir as doses.

A comprovação da vacina é feita pelo formulário em que o produtor deverá informar o tamanho do rebanho e anexar a nota fiscal de compra da vacina. "Essa informação é que vai ajudar a Adapar a atualizar o rebanho", explicou Kroetz. Quem não vacinar ou não comprovar a vacinação receberá a visita dos fiscais da Adapar, que farão a vacinação compulsória. "Esse produtor será multado e ainda vai pagar a vacinação", alertou.

O objetivo é fazer o Paraná ser considerado área livre de febre aftosa sem vacinação. "A pretensão, se tudo der certo, é entrar com esse pedido junto ao Ministério da Agricultura e do Abastecimento e em organismos internacionais em 2014", disse Ortigara.

Direção

Esta é a primeira campanha de vacinação contra febre aftosa sob a direção da Adapar. A entidade foi criada em maio pelo governador Beto Richa, para cuidar da sanidade dos produtos de origem animal, vegetal e da agroindústria e garantir mais espaço nos mercados internacionais.

Segundo o diretor-presidente da entidade, no futuro, a vacina deverá ser substituída por proteções de segurança como barreiras moveis, vigilância e inspeção nas propriedades para impedir a entrada de material de risco no Estado. "A Adapar está sendo estruturada para isso", disse Kroetz. O próximo passo é abrir concurso público para contratação de cerca de 500 profissionais entre médicos veterinários e engenheiros agrônomos. A Adapar terá 1.200 profissionais, 500 do antigo Departamento de Fiscalização e Sanidade Agropecuária (Defis).

Kroetz lembrou que todo o esforço na vacinação contra a febre aftosa visa facilitar o acesso dos pecuaristas paranaenses aos mercados mais valorizados para a carne bovina como Japão e Coréia do Sul. Ele explicou que a suspensão da vacinação pode ajudar o Paraná a reconquistar o mercado russo de suínos, perdido por motivações políticas e sanitárias. A Rússia é compradora de carne suína, mas a existência da ameaça da febre aftosa é barreira sanitária às exportações.

O presidente da Faep, Ágide Meneguetti, espera que a Adapar tenha a estrutura ideal para que o Estado conquiste o status sanitário de livre da febre aftosa e possa alavancar as exportações. "O sistema Faep/Senar está empenhado nesse desafio desde o final do século passado, investindo recursos em treinamento dos produtores".

O portal odiario.com reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório, calunioso e ofensivo. Os comentários não autorizados ficarão visíveis somente para os contatos/amigos da rede social do autor.

Publicidade

Publicidade

Loterias

  • Números sorteados
  • 15
  • 16
  • 18
  • 20
  • 22
  • 48

Shopping

Publicidade

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal odiario.com não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com odiario.com para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato pelo e-mail parceria@odiario.com.

odiario.com 2010 © Todos os direitos reservados à Editora Central Ltda - odiario.com é um parceiro do IG Regionais.

Receba Notícias por Email