• Líder do movimento negro e outras três pessoas são mortas a facada na noite de sábado, em Londrina

  • Alexandre Sanches

Em uma chacina registrada na noite de sábado (3), na Rua Olavo Bilac, no Jardim Vale Azul, na zona oeste de Londrina, a Yalaorixá Yá Makumby Vilma Santos de Oliveira, 63 anos, foi assassinada em sua casa com outras duas pessoas da família. Momentos antes, o acusado do crime, Diego Ramos Quirino, 30 anos, matou a facadas a sua mãe e tentou matar a sua companheira, identificada como Patrícia.

O crime foi registrado por volta das 22h, logo após Quirino ter discutido com sua companheira, partindo para a agressão. A mãe dele, Ariadne Benck dos Anjos, 48 anos, tentou intervir, mas recebeu diversas facadas, morrendo na hora. Em seguida, ele saiu correndo atrás de Patrícia, que procurou abrigo na casa da vizinha. Ali, o agressor, transtornado, acabou matando Allial Oliveira dos Santos, 86 anos, Yá Makumby Vila Santos de Oliveira e Olívia Oliveira dos Santos, 10 anos.

Após essas mortes, ele tentou invadir uma outra residência, mas foi impedido e fugiu para uma rua paralela ao local do crime, onde foi detido pela Polícia Militar. No momento da prisão estava nu segurando a faca que utilizou nos crimes.

Acervo pessoal/Facebook

Líder do movimento negro e outras três pessoas são mortas a facada na noite de sábado, em Londrina - Acervo pessoal/Facebook

Yá Makumby era uma líder do movimento negro e da

comunidade do canbomblé, em Londrina

Ele foi encaminhado para a 10ª Subdivisão Policial de Londrina, onde o delegado de plantão, Willian Douglas Soares, o ouviu em inquérito. No entanto, Diego Quirino se reservou a responder apenas as perguntas de cunho pessoal para a qualificação, sem dar detalhes dos motivos dos assassinatos.

Yá Makumby

A Yalaorixá Yá Makumby Vilma Santos de Oliveira era militante do movimento negro em Londrina há mais de 30 anos. Bastante conhecida nos movimentos sociais, ela foi uma das que lutou pelo sistema de cotas nas universidades de Londrina. Mãe de Santo, era uma liderança também na religião do Canbomblé.

O assassinato de Yá Makumby mexeu com os movimentos sociais e nas redes sociais, durante a madrugada e a manhã deste domingo, em especial o Facebook. Os comentários eram do inconformismo com a forma brutal como ela foi morta e também ressaltando o trabalho de luta em prol do movimento negro em Londrina.

De acordo com informações da Acesf, Allial Santos, Yá Makumbe e de Olívia Oliveira estão sendo velados na Rua Elis Regina, 23, no Jardim Ana Eliza, em Cambé. O sepultamento será nesta segunda-feira (5), às 9h, no Cemitério Jardim da Saudade.

Já o velório de Ariadne dos Anjos está sendo realizado na Igreja Batista do jardim Bandeirantes, na Rua Serra da Tabatinga, 205. O sepultamento acontece na tarde deste domingo (4), às 16h, no Cemitério Jardim da Saudade.

Com informações do site Revelia.

O portal odiario.com reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório, calunioso e ofensivo. Os comentários não autorizados ficarão visíveis somente para os contatos/amigos da rede social do autor.


Blogs e Colunas

Publicidade

Publicidade

Loterias

  • Números sorteados
  • 40
  • 7
  • 44
  • 55
  • 34
  • 20

Shopping

Publicidade

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal odiario.com não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com odiario.com para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato pelo e-mail parceria@odiario.com.

odiario.com 2010 © Todos os direitos reservados à Editora Central Ltda - O Diário do Norte do Paraná. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.

Receba Notícias por Email